a852d63c 4519 4b76 b68f 20a774a3d86b

 

 

Tumores mamários em cadelas e gatas

A oncologia vem apresentando papel de destaque como especialidade na rotina clínica em Medicina Veterinária nos últimos anos. As neoplasias mais comumente encontradas em cadelas são as neoplasias mamárias. Em gatas, representam o terceiro tipo mais frequente de tumores. Semelhante aos seres humanos, os animais de companhia apresentam maior longevidade na atualidade, o que implica em um aumento na probabilidade de desenvolvimento de tumores malignos.

Tumores mamários representam 25 a 50% dos tumores caninos, sendo que a metade são considerados malignos. Em gatas, aproximadamente 80% deses tumores são malignos com alta probabilidade metastática e muitas vezes fatal. Geralmente são detectados em animais velhos, entre 10 e 11 anos, sendo extremamente raro em cadelas e gatas abaixo de 5 anos. Não existe uma predisposição racial em cadelas, embora observe-se maior risco nas raças puras. Entre as gatas, as siamesas são as mais acometidas.

A maioria dos animais com neoplasia mamária é clinicamente saudável quando o diagnóstico é realizado e os tumores podem ser identificados pelos proprietários ou pelo profissional, no momento do exame clínico de rotina. As neoplasias mamárias caninas e felinas se apresentam, normalmente, como nódulos circunscritos de tamanhos variados, podendo estar associadas a ulcerações e reações inflamatórias locais.

O diagnóstico baseia-se em minucioso exame clínico que poderá ser associado a exames complementares, como citologia aspirativa dos nódulos detectados, exames de imagem (Raio-X e Ultrassonografia) e exames hematológicos.

Por ser uma uma grande ameaça à saúde dos cães e gatos, devemos ficar atentos a medidas preventivas como: evitar a obesidade, visitar frequentemente o seu veterinário, principalmente em cadelas e gatas acima de 5 anos, evitar o uso de contraceptivos sem supervisão estrita de seu veterinário e realização da ovariosalpingohisterectomia eletiva em idade precoce.

Cadelas que são esterilizadas antes do primeiro cio apresentam um risco de 0,5% de desenvolver tumores mamários em comparação com as sexualmente intactas. Aquelas que são esterilizadas antes do segundo cio apresentam um risco de 8% e as que são esterilizadas após o segundo cio e antes de dois anos e meio de idade apresentam um risco de 26% .

Gatas castradas antes dos 6 meses de idade apresentam redução de 91% no risco de desenvolvimento de neoplasias mamárias quando comparadas com fêmeas não castradas; além disso, o efeito protetor da castração diminui rapidamente de 86% entre os 7 e 12 meses de idade e de 11% entre os 13 e 24 meses. (DALECK et al., 1998)

Nas cadelas e gatas que já apresentam formações nodulares, o tratamento cirúrgico radical (mastectomia) é mais efetivo quando realizado precocemente, podendo ser ou não associado a protocolos radioterápicos e/ou quimioterápicos adjuvantes.

A observação de tais condutas, tanto preventiva quanto curativa, por parte do tutor e/ou responsável, são de grande impacto na relação desta patologia com a qualidade de vida e na longevidade saudável de nossos pets.

Artigo especial em alusão ao Outubro Rosa, do Médico-veterinário José Maurício Fonteles Gomes, membro do Comissão Estadual de Pequenos Animais do CRMV-CE.

Artigos relacionados
Lorem Ipsum é simplesmente uma simulação de texto...Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Sed fermentum pharetra luctus. Nullam sed ultrices ...
Continue lendo...
Aguardando conteúdo....
Continue lendo...
  Foi sancionada a Lei nº 14.064, de 29 de setembro de 2020, que altera o artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998) e aume...
Continue lendo...